fbpx

Tire suas principais dúvidas sobre servidor na nuvem

Tire suas principais dúvidas sobre servidor na nuvem

Com uma infraestrutura poderosa e que pode ser física, virtual ou uma combinação das duas, um servidor na nuvem permite que os usuários processem altas cargas de trabalho e armazenem grandes volumes de informação.

De acordo com o Technopedia, existem dois tipos de servidor na nuvem: lógico e físico. O primeiro é entregue por meio da virtualização de servidores, processo em que um servidor físico é distribuído logicamente em dois ou mais servidores lógicos, cada um deles com o seu próprio sistema operacional, embora compartilhem os mesmos componentes (hardwares).

Já o segundo é entregue por completo, por isso, também é conhecido como servidor na nuvem dedicada. Em outras palavras, nesse modelo, utiliza-se todo o hardware para apenas um só usuário.

De qualquer maneira, este artigo foi preparado para responder as principais dúvidas em relação a um servidor na nuvem. A leitura é interessante e merece toda a sua atenção. Aproveite!

Quais são as diferenças entre um servidor na nuvem e um local?

Um servidor na nuvem é aquele que é, na verdade, um conjunto de máquinas atuando em união, mas parecendo ser somente uma. Desse modo, em vez de ter que comprar equipamentos e alocá-los na sua empresa, você os contrata como um serviço.

Esse, por sua vez, proporcionará uma quantidade de máquinas na “nuvem” que seja adequada às demandas do seu negócio: esse modelo é conhecido como IaaS (Infraestruture as a Service). 

Por ser estruturado dessa forma, um servidor em nuvem oferece menos riscos de downtime e uma maior disponibilidade. Se alguma falha — ou problema — ocorrer em uma dessas máquinas, as outras assumirão a carga, fazendo com que os seus sites e/ou aplicações não corram o risco de sair do ar.

Os dados e documentos salvos na nuvem ficam hospedados em diversos servidores ao redor do planeta. Geralmente, eles são divididos em arquivos menores a serem distribuídos por essa rede, aumentando, assim, a segurança das informações: se um hacker invadir um servidor, só terá acesso a uma pequena parte dos dados. 

Por outro lado, um servidor local é aquele que fica localizado na própria organização, podendo ser usado para os mais diferentes propósitos e possibilitando que se tenha um controle total acerca das suas configurações.

Quando se fala dessa solução, não se pode esquecer de dizer que a máquina será dedicada exclusivamente para as suas necessidades. Essa particularidade é o que faz dos servidores locais uma ótima escolha para todo e qualquer tipo de companhia que processe e precise armazenar grandes volumes de dados.

Porém, é importante estar ciente de que, ao optar por um servidor local, será necessário formar uma equipe interna para gerenciá-lo. A dificuldade, diante disso, é que as exigências envolvidas na gestão e manutenção das tecnologias (softwares e hardwares) requerem profissionais especializados.

Não o bastante, o espaço onde os equipamentos ficarão alojados deve ter seus elementos físicos e ambientais controlados. Como exemplo, podemos citar a obrigatoriedade de mantê-lo refrigerado (para evitar o aquecimento dos sistemas) e garantir a sua segurança (somente pessoas autorizadas poderão acessá-lo).

Outra questão a ressaltar é o fato de que os servidores locais costumam gerar uma série de contratempos, ficam obsoletos ao longo do tempo e acabam se tornando motivos de preocupação constante.

Isso ocorre porque, em caso de quedas, todos os sistemas “alimentados” por eles simplesmente param de funcionar, uma vez que não há a quem recorrer. Entre as principais razões por trás desse problema, estão a falta de profissionais qualificados e o reduzido tempo de vida útil dos equipamentos. 

Em resumo, os custos e as dores de cabeça que implicam a sua gestão/manutenção não compensam em longo prazo, diferentemente dos servidores na nuvem, já que não exigirão praticamente nenhum cuidado por parte dos usuários.

Quais são as vantagens dos servidores na nuvem?

Além do benefício da não necessidade de preocupar-se com o gerenciamento das máquinas, um servidor em nuvem também tem de positivos os seguintes pontos:

Economia de tempo e dinheiro

Um servidor na nuvem não exigirá de você compras de hardwares, instalações e configurações de software. Tudo isso será feito pelo provedor de hospedagem, ajudando-o a poupar tempo e dinheiro.

Escalabilidade

A escalabilidade também merece o seu destaque. Ao optar por um servidor na nuvem, você poderá adequá-lo às necessidades da organização quando bem entender, tanto para cima quanto para baixo.

Assim, à medida que o negócio cresce, a solução crescerá com ele. Caso seja necessário reduzir as operações, basta solicitar ao fornecedor IaaS a redução da carga.

Segurança reforçada

Todos sabemos que a segurança das informações é uma das principais prioridades das equipes de TI. Com um servidor na nuvem, ela será reforçada, pois as plataformas em cloud contam com avançados recursos de proteção, criptografia de dados e backups de rotina.

Acesso a partir de qualquer lugar

Não importa onde se esteja, os dados e aplicações abrigados nos servidores na nuvem poderão ser acessados em qualquer lugar. Os projetos e trabalhos podem ser desenvolvidos em diversos dispositivos, desde que se tenha uma conexão com a Internet.

Estabilidade garantida

Outro benefício importante é que um servidor na nuvem tem a sua estabilidade garantida. O tempo de inatividade é zero, mesmo durante os períodos de atualização e manutenção das máquinas, não interrompendo os fluxos de trabalho em nenhuma situação.

E as desvantagens, quais são?

No que diz respeito às desvantagens, a maior parte delas é uma consequência não do servidor na nuvem em si, mas das formações de contratos ruins ou parcerias que entregam pouca qualidade nos serviços.

Depender de um provedor qualquer é um grande risco. Quando for escolher um fornecedor, vai a dica: dê preferência para aqueles que já são reconhecidos no mercado pela confiabilidade e eficiência das suas entregas.

Por fim, cabe salientar que um servidor na nuvem não é para todos. Para quem ainda não atrai um alto volume de tráfego e não necessita de maiores níveis de performance, o recomendando é contratar um plano de hospedagem compartilhada.

Se quiser saber mais e desejar entender qual o melhor serviço para a sua empresa, veja quais são os tipos de servidores a considerar!

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of