fbpx

Quais os impactos da transformação digital no varejo?

Quais os impactos da transformação digital no varejo?

Powered by Rock Convert

Promover a inovação, remodelar os processos, proporcionar a personalização da experiência ao cliente e se tornar flexível e adaptável o suficiente para atender as demandas são algumas das consequências naturais da transformação digital no varejo.

O desafio das transformações está longe de ser algo novo, pois, esse sempre foi e será um tema de ampla discussão entre as organizações de todos os portes. Nos dias de hoje, as mudanças se iniciam pela área de TI, afinal, é a esfera tecnológica que mais se aproxima dos serviços ao consumidor.

Para a sua melhor compreensão sobre o assunto, preparamos este conteúdo para apresentar os impactos da transformação digital no varejo. A leitura é interessante, e por isso, merece toda a sua atenção. Não perca!

O que é a transformação digital?

É importante ter em mente que, quando falamos em transformação digital, estamos nos referindo à transição do “físico” para o “digital” em relação aos modelos de negócios. Embora um tanto quanto óbvia, essa transformação vai muito mais além do que se pensa. No que diz respeito ao mundo varejista, ela reflete diretamente na experiência de compra.

Na prática, isso pode ser visto como o uso cada vez mais comum — podemos considerá-lo indispensável — da tecnologia para estabelecer novas e melhores formas de interação, não somente com os clientes, mas, sim, com o público em geral.

O movimento passou a ficar mais claro quando observadas as tecnologias “Big Data” e “Cloud Computing“. Uma vez empregues na infraestrutura de negócio, as empresas passam a ser fundamentadas em processos digitais — e é a partir daí que essa transformação começa, modificando grande parte de seus elementos e da sua estrutura operacional.

Quais são os seus impactos no varejo?

Para ser possível entender os impactos da transformação digital no varejo, nada melhor do que falarmos sobre as tecnologias relacionadas. Separamos as principais delas a seguir, veja!

Chatbots

Também conhecidos como “assistentes virtuais“, os chatbots são utilizados para operar e gerenciar a comunicação com os consumidores de modo automático, assegurando o melhor atendimento possível.

Eles podem ser implantados em sites, aplicativos próprios ou de terceiros, a exemplo do Facebook Messenger e do WhatsApp. Essa tecnologia funciona por meio de um software de troca de mensagens predefinidas e monitoradas pela equipe.

Inteligência Artificial

Apesar de ainda não ser amplamente utilizada pelas pequenas e médias empresas, a Inteligência Artificial (IA) é uma das maiores tendências tecnológicas para os próximos anos. Seu uso pode ser aproveitado para os mais variados procedimentos, sendo parte inseparável da transformação digital no varejo.

Expor os produtos de uma loja virtual de acordo com o histórico de navegação dos usuários, analisar informações em tempo real e criar promoções exclusivas e que se encaixem nas preferências de consumo de um determinado comprador são alguns exemplos. Enfim, é possível utilizá-la de inúmeras maneiras.

Voltando rapidamente aos chatbots, fique sabendo que os mais avançados são desenvolvidos com base na Inteligência Artificial.

Realidade Virtual

Sistema computacional cuja capacidade é simular um campo de interação que “engana” os sentidos de uma pessoa, a Realidade Virtual (RV) ainda dará muito o que falar em praticamente todos os setores da economia.

Tendo em vista a criação de ambientes que simulam a realidade, o varejo é um dos campos em que a RV tem tudo para ser um elemento-chave. Isso simplesmente pelo fato de que realmente transformará a experiência de compra — simples assim.

Realidade Aumentada

Com algumas distinções em seu conceito, mas semelhante em termos gerais, a Realidade Aumentada (RA) também pode ser inclusa na transformação digital no varejo. Isso ocorre porque ela torna possível a conexão entre o espaço real e virtual. Ao implantá-la no negócio, o varejista conseguirá inserir objetos virtuais em um ambiente físico, tudo em tempo real.

RFID

Comum em sistemas como o de pagamento automático de pedágios, a tecnologia RFID também pode ser aproveitada no setor varejista de diversas maneiras. Com ela, é possível, ao terminar as compras no supermercado, por exemplo, fazer somente uma única leitura do carrinho de modo com que não seja preciso passar cada um dos produtos no caixa.

Não o bastante, a RFID possibilita ao estabelecimento o controle do estoque e o rastreamento de qualquer item. Uma loja de roupas pode usá-la para mapear as peças que os clientes experimentaram, mas não compraram, do mesmo jeito que pode utilizá-la para encontrar padrões que tracem o perfil de cada um de seu compradores.

Gôndola virtual

Painéis que simulam prateleiras, com os preços e as imagens dos produtos, basicamente, é disso que se trata uma gôndola virtual. A ideia por trás desse conceito é fazer com que os clientes visualizem e comprem mercadorias em qualquer hora e lugar.

As gôndolas virtuais podem se “colocadas” em pontos de ônibus, estações de metrô, aeroportos etc. Para as compras, bastará ao consumidor apenas aproximar o visor do seu smartphone aos itens desejados. Entre as tecnologias associadas à transformação digital no varejo, elas são as mais “futuristas”.

No entanto, países como a China já estão aplicando efetivamente essa tecnologia, mesmo que em pequena escala. Todavia, a tendência é certa: as gôndolas virtuais se tornarão comuns em, no máximo, 10 anos.

A pluralidade dos canais de vendas e atendimento também faz parte dessa transformação digital. O omnichanel nada mais é do que a integração entre os pontos físicos aos virtuais e uma ótima representação do que se espera para o futuro do mercado varejista.

Além disso, vale ressaltar, também, sobre a importância que a hospedagem de sites tem sobre os impactos da transformação digital no varejo. Em resumo, nenhuma das tecnologias associadas a esse movimento funcionará direito sem o apoio de boas práticas e sistemas para o armazenamento e processamento de dados.

Lembra do Big Data e do Cloud Computing que mencionamos no início do conteúdo? Pois então, são eles que estão na dianteira das transformações digitais, com os serviços de hospedagem entre os seus principais aliados.

Se gostou das informações que preparamos, continue com a gente e confira quais são os benefícios que a automação em TI traz para o negócio

Deixe um comentário

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notify of
trackback

[…] apropriado para a sua empresa pode significar economias a longo prazo e garantia de sucesso na transformação digital. A seguir, vamos detalhar um pouco as características de cada um […]

trackback

[…] mais sobre o SiteLock e entender a importância dessa ferramenta para o seu negócio em tempos de transformação digital? Acompanhe a […]

trackback

[…] O mundo do entretenimento passou por uma grande mudança nas últimas décadas. A virtualização provocou uma revolução, capaz de quebrar empresas tradicionais e líderes de mercado, como a Kodak e a Blockbuster. Serviços de Streaming como a Netflix, que mudou a forma como as pessoas assistem televisão, e o Spotify, que deu fôlego novo a indústria musical, são dos expoentes dessa transformação digital. […]