fbpx

Tudo o que você precisa saber sobre o serviço de streaming

Tudo o que você precisa saber sobre o serviço de streaming

Powered by Rock Convert

O mundo do entretenimento passou por uma grande mudança nas últimas décadas. A virtualização provocou uma revolução, capaz de quebrar empresas tradicionais e líderes de mercado, como a Kodak e a Blockbuster. Serviços de Streaming como a Netflix, que mudou a forma como as pessoas assistem televisão, e o Spotify, que deu fôlego novo a indústria musical, são dos expoentes dessa transformação digital.

O modo como as pessoas produzem conteúdo, divulgam e se comunicam, também mudou. O YouTube deu a possibilidade a qualquer pessoa de ter o seu canal direto de comunicação, lançando artistas independentes e influenciadores, que já não vêm mais na TV o sonho de se tornar reconhecido nacionalmente. As transmissões esportivas estão saindo da TV e migrando para as live streaming. Imagina o que vem por aí nos próximos anos.

O post de hoje é um guia completo sobre o serviço de streaming. Nele, vamos entender o seu conceito, funcionamento, principais expoentes e como esse serviço agrega valor à sua hospedagem. Confira!

O que é serviço de streaming?

A palavra stream, em inglês, significa córrego ou riacho, que leva ao conceito de fluxo contínuo. Quando levamos isso para a transmissão de dados multimídia, podemos dizer que o streaming é uma forma de assistirmos ou ouvirmos uma produção de forma contínua, recebendo os arquivos diretamente do servidor, sem a necessidade de um download prévio ou armazenamento dos dados.

O fluxo acontece porque não há a necessidade de carregamento total de uma mídia para depois reproduzi-la, o dispositivo carrega e toca simultaneamente, praticamente em tempo real.

Uma das principais vantagens desse tipo de serviço, quando o assunto é entretenimento, é que o usuário pode acessá-lo em qualquer dispositivo — notebooks, smartphones, tablets, computadores, Smart TV, consoles de videogames etc.

Se antes, para ver um filme com amigos, era necessário carregar uma caixa com vários DVDs e ter um aparelho de reprodução, hoje existem várias opções de serviços de streaming on demand, com catálogos recheados de filmes e séries, que são acessados em instantes.

O que é live streaming?

A tecnologia streaming abriu uma possibilidade inimaginável há uma década atrás, quando as conexões mal permitiam a reprodução de vídeos curtos: a transmissão de vídeos ao vivo na via internet.

No entretenimento, essa tecnologia permite a transmissão de eventos esportivos, de programas de rádio, em áudio e vídeo, e a programação de emissoras de TV, ao vivo, via web.

A tecnologia live streaming permite, também, que as faculdades à distância transmitam aulas ao vivo para os seus alunos, de forma remota. Permite videoconferências e treinamentos corporativos, além de aproximar produtores de conteúdos de seus públicos, sem a necessidade de um intermediário.

Entre as principais ferramentas gratuitas para fazer uma live streaming estão:

  • YouTube, muito utilizado por pessoas físicas, grandes emissoras de rádio e TV, e serve de veículo para empresas que detêm exclusividade de transmissões esportivas, como o DAZN;
  • Periscope, ferramenta integrada ao Twitter, utilizada também por pessoas físicas, veículos de mídia e licenciadores de eventos esportivos, como o NBB;
  • Facebook Watch — utilizada pelos mais de 2 bilhões de usuários da rede social, para fazer a suas transmissões ao vivo, além de ter a mesma utilização de seus concorrentes, como ferramenta de transmissão de grandes veículos de mídia. O Facebook é o único desse mercado a adquirir com exclusividade a transmissão de eventos esportivos, como a copa Libertadores;
  • Instagram — o Instagram traz a Live streaming integradas aos Histories, com o vídeo em formato de retrato — câmera na vertical. É muito utilizado para transmissões mais curtas. Artistas e empresas de entretenimento utilizam esse recursos como ferramenta de aproximação com o público, de uma maneira mais informal.

Como funciona o serviço de streaming?

Agora que você já sabe o que é o serviço de streaming e como essa tecnologia permitiu a transmissão de eventos ao vivo na web, vamos entender de forma mais detalhada, como e o funcionamento dessa tecnologia.

Primeiro, é necessário que o usuário tenha uma boa conexão de internet, quanto maior foi a banda, maior será a qualidade do arquivo recebido. Plataformas como o YouTube, Globo Play, Netflix e Facebook, têm um controle automático em seus streamings, que ajusta a qualidade do vídeo à velocidade da conexão. Se você estiver em uma conexão de baixa qualidade, a sua imagem também será abaixo o padrão, mas você conseguirá acompanhar o vídeo.

Como é feita a transmissão ininterrupta?

Um dos fatores que garante o fluxo contínuo do streaming é o “buffer”, que nada mais é o que uma fração do conteúdo que é baixado antes da exibição. Depois de alguns segundos, a transmissão começa, e o servidor continua enviando todo o arquivo para o dispositivo, enquanto o usuário assiste, criando uma reserva que é utilizada caso a internet falhe.

Em algumas plataformas, como o YouTube, percebemos essa reserva sendo feita na barra de tempo do vídeo e, em alguns casos, podemos até avançar o vídeo em tempo real, sem ter que esperar um novo buffer.

Nas lives streaming o funcionamento inicial é o mesmo, primeiro há um armazenamento de segundos, o que, em eventos ao vivo, provoca um efeito conhecido como “delay”: um atraso em relação à transmissão original. Como o evento é ao vivo, não há a possibilidade de acumular dados em tempo real para salvar o usuário de instabilidades na rede, ou seja, se a internet falhar, a live é interrompida.

Em alguns serviços, após a interrupção da live, o evento volta ao vivo. Em outras, como o YouTube, há o armazenamento de dados e a transmissão volta exatamente de onde parou, o usuário tem a opção de ver o que foi perdido durante a interrupção, ou de voltar para a transmissão ao vivo.

Quais são as vantagens do streaming?

Podemos iniciar este tópico sobre as vantagens do streaming pontuando a praticidade que essa tecnologia nos proporciona, em pode clicar em uma mídia e assisti-la imediatamente, sem a necessidade de downloads.

Além da praticidade, a redução da necessidade dos downloads libera mais espaço no armazenamento dos dispositivos e reduz o risco de infecção desses aparelhos — muitos dos arquivos que eram compartilhados em softwares p2p, de compartilhamento direto entre usuários, traziam malwares embutidos.

Mais liberdade no consumo de conteúdo

É até difícil, diante das opções que temos atualmente, explicar para uma pessoa com menos de 20 anos que houve um tempo em que os telespectadores e ouvintes não tinham um grande poder de escolha, quando o assunto era entretenimento.

Éramos obrigados a ter que escolher um dos programas das engessadas programações das emissoras de TV ou rádio, no dia e horários que eles definiam. Se perdêssemos, só teríamos a oportunidade de rever, se a emissora quisesse reprisar. Hoje, com o crescimento do streaming, assistimos ao programa que quisermos, no dia, horário e com o dispositivo que tivermos à mão.

A quebra do intermediário

Ainda na comparação com o passado recente, até bem pouco tempo, para que um artista tivesse destaque nacional, ele teria que ser impulsionado por uma grande emissora de TV ou rádio. Hoje em dia, não faltam casos de sucesso de pessoas que conseguiram destaque em suas áreas de atuação, graças à possibilidade de expor seu trabalho de forma independente, via streaming.

A plataforma de maior destaque nesse cenário é o YouTube, que já lançou profissionais dos mais variados segmentos: músicos, humoristas, pensadores, jornalistas, grupos de teatro, produtoras, animadores etc.

No streaming de áudio, os podcasts estão ganhando cada vez mais força, principalmente depois que o Spotify mergulhou nesse segmento.

Quais são as principais plataformas de streaming no Brasil?

YouTube

O YouTube foi a plataforma que deu o “start” no mundo do streaming globalizado, em 2005. É a mais democrática, pois permite que pessoas de qualquer lugar do mundo publiquem desde vídeos de memes, até produções profissionais de alto nível. A diversidade de conteúdos é tão grande, que a plataforma já é a segunda maior ferramenta de buscas do mundo, perdendo apenas para o Google, que pertence ao mesmo grupo empresarial.

No início, a plataforma funcionava como uma rede social de vídeos na qual as pessoas postavam vídeos curiosos e engraçados — com destaque para os gatinhos e crianças pequenas. Esses vídeos ganhavam grande destaque e depois sumiam no mar de conteúdo. Demorou alguns anos até que os primeiros desbravadores começaram a enxergar o site como uma plataforma de trabalho.

No Brasil, por exemplo, somente depois de 2010 é que começaram a surgir os grandes fenômenos nacionais da plataforma, como o PC Siqueira e Felipe Neto, que adotaram a prática de produção em série de vídeos. A partir disso, o YouTube começou a ser invadido por pessoas e empresas buscando explorar esse potencial profissional do site e hoje eles dominaram a plataforma.

Personalidades, como o Whindersson Nunes, com mais de 35 milhões de inscritos, têm uma audiência que causa inveja a muita emissora de TV. Além dos “youtubers” a plataforma abriga produtoras profissionais, como o Porta dos Fundos e Pipocando, empresas jornalísticas, como o MyNews e a Rádio Jovem Pan, serve como serviço on demand de canais de TV, como o SBT e Band, entre outras produções.

Globo Play

A GloboPlay é a plataforma de streaming da maior emissora de TV do país. Em uma estratégia inteligente, já que não poderia ficar de fora da transformação digital que o streaming promoveu, a emissora criou um serviço que agrega todas as suas produções, atuais e antigas, além de programas jornalísticos e de entretenimento de suas afiliadas.

Mais recentemente, para competir com as gigantes do mercado, a Globo adquiriu alguns seriados norte-americanos, e passou a produzir conteúdos exclusivos para a plataforma, como estratégia de fidelização. Algumas séries, inclusive, estreiam no aplicativo antes de irem para TV.

A plataforma também faz a transmissão do sinal em tempo real do sinal da emissora em live streaming, mas esse serviço está disponível apenas e algumas regiões do país. Os sites globoesporte.com, G1 e Gshow, transmitem eventos ao vivo, como jogos de futebol, eventos musicais e jornalísticos, que também são compartilhados na plataforma

Netflix

Se o Youtube deu o “start” no streaming aberto, a Netflix fez a revolução na forma como as pessoas consomem filmes e séries. Antes disso, para ver um filme ou uma série, as pessoas tinham que recorrer às seguintes situações:

  • ir ao cinema a cada lançamento, que pode ser inviável para uma parcela da população;
  • esperar passar na TV, na hora em que a emissora escolher;
  • alugar um filme para ver em um determinado dia;
  • comprar os discos de DVD ou Blu-ray de cada produção que quiser ver, o que na soma acaba sendo caro também;
  • buscar soluções ilegais, como DVDs piratas e downloads, correndo risco de infectar o computador com vírus.

O Netflix colocou as séries e filmes na nuvem, e disponibilizou todo o seu catálogo a um preço extremamente acessível. A partir disso, as pessoas ficaram, cada vez mais, encantadas com a praticidade que é poder ver um filme ou série como, onde e quando quiser.

No primeiro momento a Netflix comprava o direito de transmissão de produções de grandes estúdios e emissoras. Como a empresa está sempre monitorando o mercado e buscando antecipar-se a movimentos previsíveis, como a entrada desses grandes conglomerados de entretenimento no mundo do streaming e possibilidade da perda de direitos das séries e filmes produzidos por eles, fez uma movimentação estratégica.

Em 2012 o Netflix lançou House Of Cards, a sua primeira série original, feita exclusivamente para web, começou ali uma nova era da empresa, que resultou em centenas de produções originais, e que não para de crescer.

HBO Go

A HBO sempre foi sinônimo de produção e qualidade na TV, principalmente por suas séries de excelência, com padrão cinematográfico. Com o aparecimento e crescimento vertiginoso da Netflix, a empresa decidiu entrar com tudo no mercado de streaming, com a plataforma HBO Go, se colocando com uma potencial concorrente.

O lançamento de produções milionárias, como as séries Game of Thrones e Westworld, ajudaram o impulsionamento da plataforma, que ainda tem as operações na TV como prioridade, mas que está pronta para uma migração completa, caso haja necessidade.

Um dos movimentos que indicam essa facilidade de migração, é a possibilidade de contratação do serviço de forma avulsa, sem a necessidade do usuário está vinculado a algum serviço e TV por assinatura.

Spotify

Não poderíamos esquecer da plataforma de streaming de áudio mais popular do Brasil e do mundo, o Spotify. Essa empresa conseguiu dar um fôlego novo à indústria musical, pois oferece muito mais praticidade do que os meios ilegais.

Com o app, é possível ouvir músicas, criar playlists, ouvir playlists de terceiros, podcasts e descobrir novos artistas por meio das indicações feitas pelo próprio software.

O assinante pode optar por um plano gratuito, com anúncios e algumas limitações para o smartphones e o pago, que permite o uso ilimitado, sem anúncios e com a possibilidade de ouvir offline. Está disponível para PCs, e smartphones Android e IOS, com mais de 83 milhões de assinantes.

O que é serviço de streaming de áudio?

Quando o Napster foi criado, e o compartilhamento de músicas entre usuários e disseminou, muita gente imaginou que nunca mais a indústria da música conseguiria se recuperar. Naquele momento, teve-se a impressão de que a música como arquivo, informalmente, se tornaria de domínio público.

Contudo, foi justamente a tecnologia de streaming que trouxe de volta o fôlego que a indústria musical precisava. Se antes a praticidade estava em baixar os arquivos mp3 e ter centenas de músicas armazenadas em dispositivos, agora o usuário tem acesso a um número ilimitado de álbuns e músicas diretamente da nuvem, sem ocupar espaço na memória e com opções de personalização e indicação de artistas novos.

Os arquivos de áudio são bem menores do que os de vídeo, o que torna a experiência de utilizar aplicativos como o Spotify e Deezer, muito mais acessível, mesmo a quem não tem uma conexão tão boa.

5. Você conhece o WHM Sonic?

Já falamos sobre o que é streaming, como funciona, quais são as suas vantagens e as principais empresas do mercado, agora vamos entender como você, administrador de um site, pode agregar esse serviço em sua hospedagem e criar um negócio rentável com streaming de áudio.

Uma das principais ferramentas para esse tipo de abordagem é o WHMSonic, que nada mais é do que um plugin popular do WHM/cPanel. Essa solução permite ao usuário, revender rádios online diretamente de seu servidor dedicado ou VPS, sem a necessidade de acessar a sua sessão SSH.

A instalação do WHMSonic é simples e poderá ser feita em poucos segundos e permitirá que você ofereça streaming de mídia SHOUTcast, AutoDJ. Os usuários poderão configurar as suas rádios online pelo próprio cPanel, e o titular fará todo o controle de acesso. Confira a seguir quais são as principais funções do WHMSonic:

  • suporta 8 diferentes idiomas;
  • oferece integração com Sistemas de Pagamentos, como WHMCS, AWBS, Clientexec etc;
  • filtro de som em HD do WHMSonic;
  • facilidade na configuração e administração das rádios no SHOUTcast pelo WHM ou cPanel;
  • permite a configuração de rádios internas ou externas do SHOUTcast;
  • você poderá fornecer apenas o serviço de streaming no cPanel, sem as funções de hospedagem
  • crie contas de revenda do WHMSonic para os seus atuais revendedores do WHM;
  • tenha acesso ao incrível site Radio Live e ofereça template para os seus clientes;
  • suporte player em flash, Mediaplayer, Quicktime, RealPlayer e Winamp.

Muita gente previu que o vídeo iria ser imbatível e que as plataformas de áudio sucumbiriam. Entretanto, o que está acontecendo é totalmente o oposto. As web rádios e podcasts estão cada vez mais populares e acessíveis, isso graças a popularização dos dispositivos móveis a qualidade das conexões.

Contudo, o que faz crescer a popularidade do streaming em áudio não é apenas as questões técnicas, existem 3 fatores importantes que contribuem para isso. Primeiro, é que o conteúdo em formato de áudio é mais de ser consumido, pois o ouvinte não precisa para de fazer os seus afazeres enquanto acompanha.

Segundo, enquanto os produtores de vídeos buscam produzir conteúdos mais populares e abrangentes, o podcasts e web rádios apostam e nichos permitindo a personalização e o aprofundamento em temas mais específicos. Assim, se uma pessoa gosta de tecnologia, vai achar um conteúdo em áudio para consumir enquanto trabalha. Se gosta de culinária, pode ouvir seu conteúdo enquanto prepara a sua receita.

Terceiro, o rádio é uma companhia para pessoas solitárias ou que passam parte do dia sozinhas. O locutor passa a ser um “amigo” da pessoa, que está com ele no dia a dia.

Outras vantagens para quem quer investir nas web rádios como negócio

Alcance ilimitado

Um dos argumentos que você poderá utilizar caso queira trabalhar como vendedor de espaço para web rádios é o fato que, diferentemente das emissoras convencionais, as web rádios não têm limitações de ondas.

Isso significa que uma rádio transmitida via streaming pode ir para além das fronteiras nacionais e conquistar um público internacional. Se o conteúdo for compatível e houver um bom trabalho de marketing, será possível chegar ao público-alvo.

Possibilidade de crescimento

Como qualquer produção de conteúdo de qualidade, uma web rádio poderá monetizar a sua programação. Ao contrário do que muito gente pensa, de que é necessário massificar o conteúdo, para atingir o maior número de pessoas possível, no mundo digital a palavra de ordem deve ser segmentação.

A segmentação permite um mapeamento mais específico de público-alvo, gera identificação e possibilita a parceria com marcas que exploram o mesmo nicho

Esperamos que você tenha gostado de nosso guia completo sobre serviços de streaming. Nele nós entendemos o que é e como funciona essa tecnologia. Entendemos também os benefícios que o streaming trouxa para os produtores de conteúdo e usuários, reduzindo a necessidade de intermediários para uma pessoa se destacar em sua área de a atuação. No final, tivemos uma dica para transformar a sua hospedagem em um negócio que explore bem essa tecnologia.

Gostou do post? Quer saber como transforma o serviço de streaming em um negócio, com um investimento acessível? Entre em contato e descubra agora mesmo.

Deixe um comentário

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notify of
trackback

[…] se comunicar diretamente com os seus clientes a qualquer hora e por qualquer dispositivo, fazendo streaming de vídeo ou áudio. Pode desenvolver soluções personalizadas para esses serviços e hospedá-los na nuvem para […]