Sites vulneráveis: qual a melhor forma de protegê-los?

Sites vulneráveis: qual a melhor forma de protegê-los?

Assim como precisamos tomar todos os cuidados necessários com o espaço físico das empresas, como a instalação de câmeras de segurança e alarmes de monitoramento em uma loja, por exemplo, o mesmo precisa ser feito nos meios virtuais, para evitar ter sites vulneráveis ao ataque de pessoas mal-intencionadas.

Os ataques de hackers aos sites de empresas podem trazer prejuízos e danos irreparáveis, como a página sair do ar e os clientes ficarem impossibilitados de se comunicar com o negócio. Isso se torna ainda mais grave no caso dos e-commerces.

Ao fazer compras em lojas virtuais, os clientes registram no sistema informações como, por exemplo. os números de seus cartões de crédito. Assim, se o site for invadido, pessoas mal-intencionadas podem ter acesso a esses dados e prejudicar os seus clientes.

Foi com base nessa realidade que desenvolvemos este post, que esclarecerá suas dúvidas sobre sites vulneráveis e mostrará como protegê-los. Confira, a seguir!

Como saber se um site é vulnerável?

Existe uma série de características que podem indicar que um site é vulnerável. É preciso que você se alerte para cada uma delas e verifique se há esse tipo de ocorrência nas páginas da sua empresa. Caso haja, recomenda-se que você tome as medidas cabíveis para reverter a situação.

Na sequência, apresentaremos algumas das principais vulnerabilidades que podem causar danos aos sites da empresa:

Upload de códigos maliciosos

Os hackers podem fazer o upload de scripts maliciosos que fazem a alteração de arquivos no banco de dados do seu site. Esses códigos também possibilitam que seja enviado spam com o nome da sua empresa.

Esses códigos são inseridos no site por conta de formulários sem autenticação de acesso. Por isso, é preciso sempre proteger as áreas de upload do site com senha.

Caso você utilize softwares de terceiros em seu site, geralmente CMSs, como o WordPress ou o Joomla, é necessário que eles sejam sempre atualizados. Nessa atualização, é importante que sejam atualizados os plug-ins do site, pois eles também podem ser a porta de entrada para invasores, caso sejam desatualizados.

Mail Form Injection

Nesse caso, o hacker insere comandos do tipo SMTP nos formulários de contato dos sites. A partir disso, ele consegue fazer o envio de mensagens de spam para as pessoas que realmente estiverem tentando fazer contato da sua empresa por meio desse canal.

Para evitar que isso aconteça, você precisa evitar o envio de e-mails para destinatários das mensagens em seu site. Para isso, é preciso que sejam filtrados os scripts como “CC”, “Cc”, “BCC”, “Bcc” e “bcc”.

Invasão via FTP

Os programadores ou colaboradores da empresa que acessam o site via FTP para fazer a inclusão de conteúdo, por exemplo, precisam sempre ter um bom software de antivírus instalados em seus computadores.

Isso é recomendado pelo fato de que programas maliciosos instalados nesses computadores podem captar informações como o login e a senha do acesso ao FTP. Assim, posteriormente, esses dados podem ser utilizados para a publicação de scripts, para o envio de spam e propagação de vírus. É possível, também, que os hackers façam a hospedagem de sites falsos com o seu domínio.

Outro modo preventivo para que isso não aconteça, é jamais acessar o site via FTP em computadores públicos. Utilize apenas uma máquina exclusiva da empresa para essa finalidade.

O que é PHP e SQL injection?

Até mesmo o Google já foi hackeado por meio do PHP e SQL injection. É por isso que esse tópico merece atenção especial neste artigo. Afinal, se até mesmo o maior gigante da tecnologia sofreu esse tipo de ataque, o mesmo pode acontecer com empresas de menores proporções.

É chamado de SQL injection o conjunto de falhas que ocorre na codificação de aplicações que, por meio de inputs, possibilitem a manipulação de uma consulta desse tipo.

De maneira geral, podemos dizer que o PHP e o SQL injection são técnicas em que os hackers conseguem manipular os códigos de PHP e SQL, linguagens utilizadas para as trocas de informações entre os aplicativos e bancos de dados dos sites das empresas.

Por meio dessas estratégias, os hackers podem manipular o seu site e roubar informações importantes e que podem ser até mesmo sigilosas, não podendo vazar para o grande público. Além disso, dependendo da versão do seu banco de dados, os hackers poderão até mesmo conseguir a permissão total para acessar a máquina em que o seu banco de saúde está hospedado.

É preciso realizar testes e adotar medidas protetivas para evitar que o seu site seja invadido por meio de técnicas como o PHP e SQL injection.

Como se proteger de ataques hacker?

Para que você saiba como proteger o seu site de ataques de hackers, listamos uma série de dicas que podem ser colocadas em prática na sua empresa. Confira:

  • altere com frequência as senhas do painel de controle e do FTP do seu site;
  • faça varreduras com antivírus e redes, de modo geral, que tenham acesso ao seu FTP;
  • mantenha inativos os scripts vulneráveis que você identificar em seu site;
  • em caso de ter sofrido uma invasão, remova os arquivos do seu banco de dados e, em seguida, restaure-os por meio de bakcups feitos antes da invasão;
  • oriente a sua equipe para não acessar sites via FTP em computadores que não o de uso exclusivo para o trabalho;
  • faça testes e monitoramentos constantes para evitar que o seu site seja invadido;
  • limite o FTP do site a IP fixos.

Agora você já entende um pouco mais sobre sites vulneráveis, os motivos que fazem com que eles tenham essas características, os principais tipos de ataques que podem ocorrer e como se proteger deles. Por isso, comece o quanto antes a colocar esses conhecimentos em prática e evitar as fraudes no seu negócio!

Como esse post foi útil para você, também pode ser para as outras pessoas. Que tal, então, compartilhar o material em suas redes sociais? Assim, os seus amigos e colegas também saberão sobre a importância de atentar para a segurança de seus sites.

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of