fbpx

9 razões para sua empresa apostar em virtualização de servidores!

9 razões para sua empresa apostar em virtualização de servidores!

Powered by Rock Convert

A virtualização de servidores é cada vez mais importante para a sua empresa, visto que o setor de TI a cada ano tem se tornado a locomotiva das empresas, a espinha dorsal que faz todo o sistema corporativo funcionar.

Como as transformações digitais que acontecem de forma cada vez mais rápida, os profissionais de TI das empresas precisam estar antenados com as novas ferramentas para tirar o maior proveito delas. Dentro dos benefícios estão:

  • A elevação da produtividade;
  • a redução de custos;
  • o aumento das receitas;
  • E o mantimento do nível de crescimento escalar.

Na infraestrutura de TI de uma corporação, os servidores têm um papel de protagonismo na gestão empresarial como um todo. É nele que são processados, armazenados e conduzidos todos os dados e sistemas da empresa.

Assim, a corporação que tiver a melhor solução nessa área sairá na frente, em um mercado cada vez mais competitivo. Nesse sentido, a virtualização de servidores mostra-se uma forte tendência e traz uma série de benefícios tanto para a infraestrutura de TI quanto para o setor financeiro do empreendimento.

Por ser um conceito novo, é natural que surjam dúvidas e questionamentos sobre a real utilidade e benefícios dessa virtualização de servidores.

Desse modo, para ajudar você a entender melhor esse conceito, preparamos este post. Nele você entenderá o que é virtualização de servidores e as razões para implementá-la hoje mesmo em seu negócio. Confira!

O que é a virtualização?

A virtualização é um processo irreversível pelo qual a humanidade tem passado nas últimas décadas. Há um tempo, para ouvirmos música, precisávamos de um aparelho específico e de um disco analógico que trazia as faixas musicais desejadas.

Mais recentemente, as músicas foram digitalizadas, porém, ainda dependiam de aparelhos específicos para execução. Então, houve o processo de digitalização em que tanto as melodias quanto os meios de execução se tornaram softwares. O mesmo aconteceu com os filmes, que passaram a ser digitais e hoje estão 100% virtualizados.

Nas empresas, durante muito tempo, as documentações eram físicas e precisavam de muito espaço para serem alocadas. Eram comuns os arquivos, grandes salas destinadas à alocação de gaveteiros enormes, lotados de papéis.

Entretanto, toda essa documentação mais antiga foi digitalizada e as novas passaram a ser produzidas de forma totalmente digital, o que exigiu das organizações a aquisição de computadores que dessem conta de toda essa digitalização e aumentou a demanda por servidores.

Como o processo não para, estamos no auge da virtualização, ou seja, além de todas as documentações e processos das empresas estarem digitalizados, esses servidores individuais que alocavam todos esses dados também se tornaram virtuais.

O que é a virtualização de servidores?

Basicamente, a virtualização de servidores é uma técnica que permite a utilização de mais de um sistema operacional em um único servidor.

O servidor físico se torna hospede de vários servidores virtuais, que serão configurados de acordo com a demanda de cada setor de uma empresa, com sistemas operacionais e recursos independentes — memória, processamento, armazenamento, etc.

Essa técnica permite a utilização da capacidade máxima dos datacenters, com maior densidade no uso de hardwares e armazenamento.

Para que isso seja possível, é necessário a utilização de um software chamado hypervisor, e é esse sistema que dará ao servidor físico a capacidade de se dividir.

Assim, a gestão de TI da empresa fica livre para criar máquinas virtuais distintas, de modo que atenda diferentes demandas. Alguns setores demandam maior desempenho, já outros precisam de maior capacidade de armazenamento.

Com a virtualização, é possível fazer esses direcionamentos sem a necessidade de comprar máquinas individuais, aproveitando toda a potencialidade de um único servidor.

Dessa forma, podemos dizer que a virtualização de servidores é uma técnica que permite o uso de múltiplos sistemas operacionais em uma única, simulando a estrutura de um servidor físico.

Virtualização de servidores e a computação em nuvem são a mesma coisa?

Muita gente ainda confunde e acha que as duas tecnologias são a mesma coisa, bem como pensa que os dois termos são sinônimos, porém, não são. A verdade é que a computação em nuvem depende da virtualização de servidores e essa técnica é a essência do funcionamento do cloud computing.

A diferença é apenas o local em que a virtualização de servidores acontecerá e como será gerida. O servidor virtual pode ser criado internamente, na empresa, sem a necessidade de terceiros.

Já para que haja a utilização da computação em nuvem, será necessária a contratação de uma empresa especializada para prover e gerir o cloud server. Assim, o acesso a esse servidor será feito de maneira remota, via internet.

Podemos dizer então, que o cloud computing depende da virtualização de servidores, mas não o contrário. A virtualização é motor das duas soluções e pode ser feita em servidores físicos e remotos, como o caso da nuvem.

Como é feita a virtualização de servidores?

A virtualização deve ser planejada de forma minuciosa, pois é fundamental que haja uma governança de TI responsável por analisar se a situação demanda a aquisição de um servidor físico próprio ou se o momento pede uma terceirização.

Isso significa que deve ser feito um mapeamento dos ativos, com a colocação no papel da capacidade e quais são os recursos necessários para que seja feita uma definição sobre a solução que será contratada.

Para a virtualização, o servidor deverá conter o sistema operacional mais básico, o hypervisor, cuja função primária é fazer a divisão desse servidor físico em várias máquinas virtuais.

Esse sistema é ideal, pois ocupa pouco espaço e deixa o bruto para a alocação dessas novas máquinas. Isso contribui para a diminuição de riscos de erros com códigos dos sistemas operacionais, o que facilita a segurança digital e amplia o ciclo do tempo de manutenção.

Apos a análise inicial e a aquisição do servidor, com o hypervisor, deverá ser feita a divisão e estruturação das máquinas virtuais. Para isso, deve ser definido as capacidades de armazenamento, memória RAM e processamento de cada uma. Além de outros recursos individuais que farão parte da demanda de cada setor para cumprir as atividades para as quais a máquina está sendo configurada.

Os hypervisores mais eficientes são capazes de, inclusive, dividir o tráfego conforme demanda, priorizando algumas máquinas para otimizar o desempenho do sistema como um todo.

Esse direcionamento de tráfego possibilita a definição do tipo de sistema que será rodado, de acordo com as recursos disponibilizados para cada uma.

Algumas máquinas utilizarão mais memória e outras mais armazenamento ou capacidade de processamento. Cabe ao responsável pela gestão, definir e fazer a escolha do sistema mais adequado para cada situação. Em um servidor físico sem a virtualização, por exemplo, essa configuração seria mais generalizada.

É indicado também, a utilização do SAN (Storage Area Network) — um espaço compartilhado entre todos os servidores, também chamado de storage.

Com as máquinas interligadas ao SAN, ficará mais simples a distribuição das capacidades de desempenho e prioridade entre os servidores virtuais. Isto é muito necessário, já que em um ambiente empresarial poderão ocorrer picos de desempenhos em áreas de maior demanda, que não podem ser afetadas por locais com menos demanda.

Quais são as principais razões para apostar na virtualização de servidores?

A virtualização de servidores não está em voga à toa. Essa técnica modificou a forma de trabalho das empresas, pois centraliza o hardware, garante economia, reduz a necessidade de gestão múltipla e facilita a manutenção.

Veja a seguir as principais razões para você adotá-la em sua empresa hoje mesmo!

1. Utilize toda a capacidade do servidor

Uma das principais vantagens é que com ela você utiliza toda a capacidade do servidor. Boa parte das máquinas de uma empresa não utilizam todo o potencial, pois a maioria dos usuários executa tarefas de baixo desempenho.

Com a virtualização e a criação de máquinas virtuais sob demanda, os recursos passam a ser direcionados, o que diminui a ociosidade do hardware. Isso permite que a empresa faça mais com menos, ou seja, em um único hardware, se bem utilizado, você executa a demanda de várias estações de trabalho.

2. Tenha um gerenciamento simplificado

Unificando as máquinas em um único servidor, a gestão se torna mais simplificada e bem mais econômica, do que se fossem utilizados diversos servidores.

A equipe inteira de TI ganhará em produtividade, visto que todos os procedimentos — instalação, manutenção, segurança, atualização — ficarão centralizados em uma única interface, o que reduzirá consideravelmente os gargalos de gerenciamento.

Vale lembrar que os sistemas operacionais funcionam de forma independente, portanto, necessitam de gestão individual, e o profissional de TI contará com ferramentas add-on para simplificar esse processo.

3. Defina partições em sistemas operacionais

Por padrão, um servidor físico é executado por meio de um único sistema operacional, que terá os servidores de aplicação ali instalados — de web, banco de dados, servidor de e-mail, entre outros. Essa execução de vários servidores em uma única máquina aumenta a possibilidade da criação de gargalos, causados por interferências.

A virtualização e sua capacidade de instalação dos múltiplos sistemas operacionais e diferentes aplicações colocará cada máquina configurada com seus próprios recursos, diminuindo consideravelmente as possibilidades de interferência.

4. Crie de servidores para testes de protótipos e migração simplificada

Após a virtualização, ficará muito mais simples e rápido a criação de um servidor adicional para testes. Essa tarefa poderá ser executada em minutos e não demandará softwares adicionais.

Vale ressaltar que sem a técnica, seria necessário a compra de um servidor físico, o que geraria um custo, instalação de sistemas operacionais e de aplicativos, ou seja, seria caro e demorado.

Além disso, a migração para outras hospedagens ficará muito mais simplificada já que estamos falando de códigos de programação e não de hardwares. As máquinas virtuais poderão ser clonadas por meio de um procedimento simples de duplicação, com todas as configurações e aplicações. Isso permitirá testes de novos patches, análises de versão atualizada de um aplicativo antes da implementação e/ou migração para a nuvem.

5. Economize de energia

É evidente que executar apenas uma máquina física para cumprir múltiplas funções ajudará muito na economia de energia e refrigeração.

Nesse ponto, a virtualização colabora muito, pois além do fato de poder criar várias máquinas virtuais em uma única máquina física, os servidores virtuais permitem que alguns recursos fiquem inativos quando não estiverem em uso.

Mesmo que sua empresa não esteja diretamente tão engajada em causa ambientais, esse poderá ser um ponto de partida para um crescimento mais sustentável. Produzir mais, utilizando menos equipamentos, ocupando menos espaço e economizando energia, colocará a sua empresa em outro patamar econômico e ecológico.

6. Economize com infraestrutura e espaço

Além da economia com energia, a virtualização promove uma redução nos custos com infraestrutura e espaço físico. Em vez de adquirir diversos dispositivos, hardwares, PCs, componentes etc, é possível concentrar os investimentos em um único servidor físico, que funcionará como base para todas as máquinas virtuais.

Quando se comparam os custos de aquisição de diversos servidores pequenos, com o investimento necessário para montar um servidor de alta capacidade, percebe-se que a segunda opção é mais atrativa. Com isso, naturalmente o espaço físico também será otimizado.

7. Otimize a recuperação de desastres

A restauração de uma máquina virtual é bem mais rápida do que uma máquina física. Na segunda, você precisará reconfigurar tudo do zero e trabalhar na recuperação dos dados, enquanto na virtual você poderá criar uma réplica dos servidores, o que facilitará o backup e recuperação, bem como dispensará reconfigurações.

A virtualização permite que sejam feitos testes utilizando réplicas dos servidores ativos para simular casos de pane no sistema. Isso acontece porque ela fornece três recursos essenciais para reverter desastres de forma efetiva:

  • consolidação dos servidores
  • capacidade de abstração do hardware e redução de danos.

Além disso, com esses recursos, a empresa poderá, antes de contratar um fornecedor, fazer testes prévios com planos de Disaster Recovery.

8. Tenha uma maior segurança

Com as máquinas virtuais, os gestores podem definir níveis de acesso de acordo com a função de cada usuário, delimitando assim áreas críticas e promovendo uma maior segurança dos dados e das configurações mais críticas.

Essa delimitação é necessária até mesmo para fazer mapeamentos quando ocorrer qualquer tipo de problema relacionado à má utilização das máquinas.

9. Mantenha a disponibilidade

Um dos principais desafios das equipes de suporte técnico de TI nas empresas é o de fazer reparos, recuperações e manutenções sem causar grandes paradas de produção. Com a virtualização, as paradas são menos danosas, já que é possível replicar a máquina em hosts diferentes, aumentando assim a disponibilidade, mesmo em caso de panes.

As máquinas virtuais poderão migrar para um servidor físico secundário ou até para um cloud server de maneira simplificada.

Como a virtualização de servidores pode impactar sua empresa?

Bem, você já conhece algumas das principais razões para implementar a virtualização de servidores em sua empresa, agora vamos ver como ela impactará na prática.

Primeiro, devemos entender que a técnica é interessante para qualquer tipo de empresa, independente do porte ou segmento. Para que seja bem aplicada, é necessário que haja uma análise clara dos objetivos e dos impactos que essa solução trará para os seus processos.

Já falamos sobre a economia de energia, mas precisamos enfatizar como isso será significativo para o negócio. Com a virtualização, os gastos energéticos em relação à operacional do TI podem ser reduzidos em até 40%. Isso é aplicável quando se trata dos objetivos de crescimento da empresa, que necessitará de uma ampliação de infraestrutura de TI como um todo — sistemas, equipamentos e pessoal.

Sem virtualizar, se ocorrer um aumento na contratação de pessoal para expansão, isso implicará em uma maior demanda para a aquisição de novos computadores e equipamentos. Porém, a virtualização do servidor permite que essa expansão se torna mais fluida.

Isso porque em vez de comprar novas máquinas, bastará a criação de algumas independentes no servidor virtualizado e disponibilizá-las aos novos colaboradores.

Por exemplo, se a expansão demandar 20 novos funcionários, em vez de adquirir um computador novo para cada estação de trabalho, bastará adquirir os thin clients — dispositivos que funcionam como ponto de acesso ao servidor virtual, sem HD e processamento próprios.

Além do impacto positivo, com a redução de custos com equipamentos diminui-se também a necessidade de gasto com espaço físico adicional. Talvez a maior atenção que os gestores de TI deverão ter na hora de realizar a virtualização é em relação ao consumo de memória RAM e capacidade de armazenamento.

Como serão diversos computadores em funcionamento simultaneamente, será necessário uma avaliação detalhada para que seja feita uma configuração que atenda à demanda exata de cada setor em que a máquina for alocada.

Além de uma gestão eficiente dos recursos de memória e armazenamento individuais, é essencial que haja um monitoramento constante para aferir o funcionamento de cada máquina e verificar se o desempenho está adequado.

Com todos esses fatores combinados e bem geridos, será possível criar um ambiente de TI que atua eficientemente com foco para o sucesso do núcleo do negócio.

É vantajoso contatar um parceiro especializado para fazer a virtualização dos servidores?

Quando falamos que a virtualização pode trazer vantagens para empresas dos mais variados setores e portes, falamos isso porque mesmo sem uma grande equipe interna de TI, é possível contar com um parceiro especializado.

A terceirização dessa área está se tornando uma tendência e permite que pessoas altamente treinadas e especializadas se tornem responsáveis pelo TI de uma empresa, liberando os gestores internos para focarem nos núcleos de seus negócios.

Além disso, as médias e pequenas empresas poderão contar com serviços pontuais, de acordo com as necessidades empresariais, evitando gastos com encargos trabalhistas com uma equipe que usará esporadicamente. Isso significa que você poderá contratar um serviço parceiro para cuidar integral ou parcialmente de sua infraestrutura de TI, o que se torna uma operação de grande custo-benefício.

Em relação à virtualização de servidores e sua gestão, seu empreendimento poderá ficar bem amparado com profissionais qualificados e preparados para lidar com as mais diversas tecnologias, desde aplicações, sistemas operacionais e equipamentos físicos. Além de todo Know How para agregar a sua empresa com insights que talvez não seriam percebidos.

A terceirização é apenas uma substituição?

Existem alguns mitos em relação à terceirização de TI. O primeiro é que ela seria apenas uma substituição e que os gastos seriam os mesmos de uma equipe interna. Isso não é verdade, pois seu negócio contratará um serviço e toda a equipe ficará sob responsabilidade da empresa contratada.

Desse modo, não haverão gastos com tributações trabalhistas, infraestrutura, logística, transporte e outros encargos que teriam com uma equipe interna. Além disso, o time terceirizado é especializado e treinado.

Outro mito diz que a terceirização dificultaria para a empresa titular e ter controle sobre os processos. Tudo isso será definido em contrato e a organização contratante poderá definir todas as bases necessárias para se manter no controle, acompanhando os andamentos das etapas da virtualização e todos os processos inerentes. É esse acompanhamento de perto que garante a qualidade do serviço.

Se você optar pela terceirização dos serviços de virtualização, procure empresas com credibilidade e experiência na área, com profissionais bem qualificados, recursos necessários e que apresentem soluções que estejam alinhadas ao mercado.

Nesse texto, você aprendeu que a virtualização dos servidores é recomentada para qualquer tipo de empresa. Viu também algumas razões objetivas para que você possa tirar as suas dúvidas e adotar agora mesmo essa solução.

Fique tranquilo, pois você não precisará realizar grandes investimentos em infraestrutura para implementá-la. A verdade é que todo o valor despendido para a virtualização retornará rapidamente com as reduções que a empresa terá com energia e gastos operacionais, já que não haverá grande demanda por manutenções, visto que tudo emanará de um único servidor físico.

Além disso, haverá otimização da infraestrutura, reduzindo o downtime e garantindo maior segurança para as operações. Para aproveitar todos os benefícios da virtualização de servidores, o seu negócio precisa contar com um fornecedor especializado e confiável para realizar a migração e fazer as instalações necessárias.

Quer saber como fazer a virtualização dos servidores da sua empresa e obter todos os benefícios dessa solução? Entre em contato conosco e descubra como!

Deixe um comentário

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notify of
trackback

[…] erro 500 é mostrado quando o servidor tem dificuldades em atender à solicitação feita pelo usuário. Trata-se, portanto, de algo que […]