fbpx

As instituições de saúde têm como objetivo oferecer a maior qualidade de atendimento aos seus pacientes. Para que isso seja possível, é importante que seja feita uma boa gestão de serviços de saúde, que garanta rotinas claras e objetivas. 

A transformação digital também chegou a essas organizações, e a tecnologia traz uma série de benefícios, além de reduzir a margem de erro e entregar maior precisão.

Quando a instituição utiliza um software de gestão, por exemplo, pode organizar de forma intuitiva os documentos dos pacientes, diminuindo o tempo de procura e eventuais retrabalhos. A digitalização de exames de imagem, permitem a criação de laudos à distância, diminuindo consideravelmente a entrega dos resultados.

Para que você entenda melhor a importância da tecnologia na gestão de serviços de saúde, fizemos este post. Nele, vamos entender o que é e como dar os primeiros passos, um a um, de uma gestão eficiente. Confira!

O que é gestão de serviços de saúde?

Antes de falarmos sobre tecnologias, vamos entender melhor o que é gestão de serviços de saúde. Todos sabemos que o objetivo de uma instituição de saúde é entregar o tratamento mais adequado, de acordo com as condições clínicas, socioeconômicas e psicoemocionais dos pacientes que estejam internados ou em regime ambulatorial.

Para que isso seja feito de forma adequada, é importante que a organização conte com um bom estoque de insumos farmacêuticos, conforme o perfil nosológico do hospital, além de contar com uma reserva de produtos para atender eventuais emergências que causem desabastecimento. Cabe ao gestor racionalizar os custos e investir em capacitação profissional, por exemplo.

Além disso, não dá mais, em pleno século XXI, para abrir mão dos recursos tecnológicos modernos para auxiliar a medicina diagnóstica, além do acompanhamento clínico. Nos tópicos abaixo, veremos como o gestor pode otimizar a infraestrutura hospitalar utilizando a tecnologia a seu favor.

Como utilizar a gestão de serviços de saúde utilizando a tecnologia?

Veja, abaixo, como o gestor de uma instituição de saúde pode melhorar consideravelmente as condições, com o apoio de tecnologias específicas. Tecnologias essas que contribuem não apenas para a gestão, mas para o bem-estar dos pacientes. Acompanhe!

Invista em um software de gestão

Independentemente do porte da instituição ou do tamanho do município que ela atende, é importante que haja a integração de informações. 

Quando falamos de uma rede de hospitais, por exemplo, é importante que haja um controle do abastecimento de inúmeras unidades, entre hospitais e centros de saúde, além de monitorar os colaboradores. Isso só será feito de forma fluida e rápida com o auxílio de um bom sistema de gestão de saúde.

É de suma importância que esse software seja único, para substituir as aplicações utilizadas de forma autônoma por parte dos profissionais, na maioria das vezes bem-intencionados, mas que costumam colocar os dados sensíveis em risco, além de dificultar a integração.

O objetivo é que, no lugar da fragmentação — que pode gerar a evasão de recursos e gastos além do limite, desnecessários —, entre um sistema de gerenciamento completo, que permita o controle, de forma integrada, da compra de medicamentos, passando pelo histórico de relacionamento com os fornecedores, até a ata de registro de preços.

Invista em um prontuário eletrônico

Falamos acima sobre a necessidade de um bom sistema de gestão de saúde. Esse sistema, por meio de seu fornecedor, pode servir de base para a implantação de um prontuário eletrônico do paciente, o PEP. Esses prontuários darão muito mais agilidade ao atendimento, além de aumentar a segurança em relação às decisões médicas.

Um dos benefícios da utilização do prontuário eletrônico está na possibilidade de integrá-lo às soluções de Big Data, para que seja possível utilizar os dados gerados para a obtenção de insights. Essa solução abre margem, também, para utilização de dispositivos móveis para facilitar o trabalho das equipes que estiverem em campo.

Busque por soluções de Big Data

No tópico acima, demos uma pequena introdução sobre a importância do Big Data para uma boa gestão de serviços de saúde. Neste, vamos nos aprofundar um pouco mais.

Estamos em um mundo cada vez mais conectado, produzindo uma gama de dados de todos os tipos, em uma velocidade cada vez maior. Podemos dizer que o Big Data é um dos conceitos em que o impacto de uma pesquisa, tratamento e análise de dados será maior. 

Quando entramos na área da saúde, os resultados obtidos com o auxílio do Big Data vão desde a prevenção, passando pelo diagnóstico, até a investigação clínica.

Não à toa, boa parte das instituições estão utilizando plataformas analíticas, com o objetivo de gerenciar desde os custos operacionais, passando pelos exames, dados clínicos, de medicamento, e indo até eventuais prejuízos que podem ser gerados pelos seguros.

Muitas organizações já têm conseguido reduzir consideravelmente os custos com o auxílio do Big Data, e isso não é um privilégio das áreas de alto nível. O objetivo deve ser sempre trabalhar com ferramentas inteligentes, que tenham o foco na extração de informações significativas presentes nos dados armazenados no Big Data.

Estamos vendo uma grande transformação no setor de saúde com base no Big Data, com o crescimento vertiginoso do número e da diversidade de dados digitalizados que são tratados, estruturados, analisados e utilizados de maneira cada vez mais ampla.

O setor de saúde tem lidado com dados cada vez mais versáteis, vindo de múltiplas fontes, que vão de prontuários eletrônicos, até smartphones programados para coletar dados sobre as atividades dos pacientes. Isso permite a utilização de alertas em tempo real, além do armazenamento eletrônico de resultado de exames e dados sobre o paciente, além de dados genéticos que impulsionam a medicina personalizada.

Invista em um servidor dedicado

Para trabalhar com todas as soluções tecnológicas responsáveis pela otimização da gestão de saúde, é importante que a instituição conte com um servidor seguro, afinal, estamos falando de dados sensíveis, que, se não tratados corretamente, podem gerar punições para organizações, com base em legislações de proteção de dados, como a LGPD — Lei Geral de Proteção de Dados.

Uma das melhores soluções é a contratação de um servidor dedicado, que apresenta uma série de vantagens, que atenderão perfeitamente às necessidades do setor de saúde. Isso porque um servidor dedicado garante a exclusividade de recursos para o seu proprietário, dando muito mais liberdade para a instalação de aplicações, espaço amplo para o armazenamento, além de flexibilidade e escalabilidade. 

Entre os diferencias dos servidores dedicados, podemos destacar:

  • performance — como estamos falando de uma base exclusiva, as aplicações baseadas nesse servidor passam a ter mais velocidade, pois não terá concorrência de tráfego;
  • autonomia — a equipe de TI terá toda a liberdade de criar um ambiente propício para atender a todas as demandas necessárias, com autonomia para programar e monitorar o sistema;
  • flexibilidade — possibilidade de fazer a instalação de componentes necessários para a criação de sistemas que atendam à. necessidades da instituição, como plugins, módulos e scripts;
  • segurança — como estamos falando de informações confidenciais, quanto mais camadas de proteção, melhor e o servidor dedicado garante essa maior segurança por não ser um ambiente compartilhado.

Como vimos neste post, a gestão de serviços de saúde fica muito mais aprimorada com o auxílio da tecnologia. Aproveite as nossas dicas para dar os primeiros passos rumo à transformação digital, que pode mudar de patamar a atuação das instituições de saúde, melhorando não apenas a gestão de serviços, mas a capacidade de atuação profissional de todos.

Gostou do post? Então, ajude-nos a divulgá-lo, compartilhando com seus amigos e familiares em suas redes sociais!

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.