fbpx

Por melhor que seja o planejamento de um projeto, a qualidade da infraestrutura e a qualificação da equipe, se buscamos a excelência, temos que lidar com alguns perigos. A gestão de riscos em TI tem como foco identificar todos os componentes de incerteza que afetam o resultado de um projeto. Isso significa que, além das possíveis ameaças, também precisam ser levadas em consideração as oportunidades que surgirem ao longo do processo para otimizar o desempenho.

Apesar de ser incerto, o risco não é exatamente imprevisível. Pode-se qualificá-lo e quantificá-lo ao analisar as suas probabilidades e os impactos. Para isso, é importante que a empresa tenha um plano de gerenciamento de riscos. Neste post, vamos entender por que essa preparação é importante para seus projetos, como fazê-la, quais são os benefícios e o papel do PMBOK nesse processo. Confira!

Qual é a importância do gerenciamento de riscos?

Quando o risco não é uma grande preocupação e a sua gestão é negligenciada, o preço a ser pago pode ser alto, afinal a prevenção costuma ser mais barata do que atitudes e soluções que remediam algum problema.

Também é importante levar em consideração que não é porque não estamos vendo o risco que ele deixa de existir. A sensação de que os problemas só acontecem com os outros passa uma falsa impressão de que o investimento inicial em gestão de risco é um custo desnecessário.

O plano de gerenciamento de riscos permite que o gestor conheça todas as possibilidades relacionadas a um projeto e adote as medidas que garantem eficiência. Em trabalhos de longo prazo, é importante contar com planos de ação. Um exemplo é o PMBOK.

Qual é o papel do PMBOK para a gestão de riscos em TI?

Esse guia define quais processos são necessários para que o gerenciamento de riscos seja bem-feito. Veja abaixo quais são esses parâmetros:

  • fazer um planejamento dos riscos;
  • mapeá-los;
  • analisá-los qualitativamente e quantitativamente;
  • preparar as respostas;
  • executar as respostas;
  • monitorá-los.

Boa parte dos processos indicados pelo PMBOK ocorrem de forma simultânea por mais de uma vez durante a gestão de projetos, porém é importante que eles sejam analisados de forma separada. Isso porque as ferramentas e técnicas que serão utilizadas são diferentes. Quando planejadas a longo prazo, as ações contribuem para a melhoria contínua em todas as etapas.

Como fazer a gestão de riscos em TI?

Já sabemos que a gestão de riscos visa ao mapeamento e à identificação de ameaças a um projeto ou infraestrutura de uma empresa. Para atingir esse objetivo, é necessário que o gestor trace um plano de ação com medidas preventivas e corretivas que levem em consideração todos os cenários.

É importante ter em mente que dificilmente evitaremos todos os problemas, por isso, caso ocorra algum imprevisto, a gestão de risco nos dará toda a base necessária para lidarmos da melhor maneira com essa situação, reduzindo os impactos negativos. Veja a seguir algumas etapas para implementar uma gestão de risco em TI.

Analise as vulnerabilidades

Antes de colocar a mão na massa e elaborar o seu plano de gestão, é importante que sejam identificados os riscos inerentes à sua atividade, o que pressupõe conhecer as vulnerabilidades existentes. Você pode conceituá-las como fraquezas que reduzem a margem de segurança da infraestrutura devido a três elementos:

  • falha ou suscetibilidade;
  • acesso a esse elemento;
  • capacidade de explorar a situação.

Ao analisar esses pontos frágeis, o gestor pode criar um plano de contingenciamento para qualquer evento previsto. Nesse cenário, será possível evitar ameaças físicas, problemas em softwares, instalações, além de problemas que afetem banco de dados e sistemas de comunicação.

Capacite os colaboradores

Não adianta criar processos conceituais sem que haja o engajamento dos profissionais. Quando os colaboradores são bem-treinados e sabem como utilizar as ferramentas, os riscos são reduzidos de forma considerável.

A capacitação pode ser feita de forma presencial ou on-line, sempre contando com o apoio da gestão de pessoas. Se bem-feita, essa medida aumentará o engajamento dos trabalhadores, deixando-os mais motivados por se sentirem reconhecidos pela empresa, além de serem beneficiados em relação à qualidade de trabalho e produtividade.

Atualize a estrutura física

Para gerir bem os riscos, é importante que os equipamentos de TI estejam instalados em local apropriado. Dessa forma, tanto problemas relacionados às ameaças naturais quanto a eventual obsolescência das máquinas são evitados. Isso entrega mais segurança aos processos, resultando em mais disponibilidade, confiabilidade e integridade.

Não é necessário que o empreendimento conte com máquinas de última geração, mas que sejam tomadas as precauções necessárias para que as atualizações e upgrades sejam feitos de maneira estratégica, fazendo adequações, implantando dispositivos de segurança e controlando acessos.

Crie um plano de teste

Não há como saber se uma gestão de risco é realmente eficiente se não forem feitos testes. O objetivo deles é possibilitar que as falhas sejam identificadas e resolvidas antes de o projeto ser apresentado ao interessado, sejam clientes, parceiros ou colaboradores. Essa medida evita atrasos e custos inesperados.

É recomendado que o plano de testes seja automatizado, proporcionando uma análise em tempo real e garantindo a identificação de falhas mais rapidamente, acelerando a execução dos processos.

Quais são aos benefícios de uma boa gestão de riscos em TI?

Quando a empresa adota uma gestão de riscos em TI, tem como benefícios a redução de custos de operações, maximização da segurança, diminuição dos problemas decorrentes de panes e aumento de produtividade. Contudo, eles não ficam restritos a esse setor, refletindo na organização como um todo, afinal, com a transformação digital, as instituições estão cada vez mais dependentes de seus ativos tecnológicos.

Neste post, entendemos a importância de uma boa gestão de riscos em TI. Se seu empreendimento não tem uma equipe preparada para esse processo, uma boa solução é a contratação de um parceiro especializado. Dessa forma, pode-se focar o seu core business e contar com um serviço de ponta, sem estourar seu orçamento.

Gostou do post? Quer saber como implementar a gestão de riscos em sua empresa? Entre em contato conosco e veja por onde começar.

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.