fbpx

Nas últimas semanas, o coronavírus provocou várias reações ao redor do mundo. Desde seu surgimento, vários governos começaram a se mobilizar, buscando formas de prevenir uma epidemia. Apesar de algumas dessas ações terem ajudado a lidar com as situações esperadas, a doença teve outra consequência menos esperada: crimes virtuais.

Pode parecer estranho, mas muitos ataques de hackers ocorridos nos últimos meses são resultados da disseminação do vírus ao redor do mundo. E você também pode ser uma das pessoas afetadas, caso não tome as devidas precauções.

Para ajudar a não se tornar mais uma vítima, vamos explicar um pouco melhor como esses crimes virtuais funcionam e como eles foram influenciados pela doença. Acompanhe.

O que já sabemos sobre o coronavírus?

Antes de falar sobre os ataques de hackers e por que eles têm qualquer relação com essa epidemia, vamos conhecer um pouco mais sobre a doença em si. O Coronavírus, cujo nome específico é o COVID-19, é um novo agente patológico da família CID10, que foi descoberto no dia 31 de dezembro de 2019.

A origem de sua disseminação é a China, mas a doença já percorreu diversos países e casos já foram reportados em várias partes do mundo. Recentemente, alguns casos já foram encontrados em partes do Brasil, o que coloca a população e os órgãos públicos em alerta.

Atualmente, ainda não é caso de epidemia em território nacional, mas alguns cuidados podem ser tomados, como evitar locais cheios e higienizar bem as mãos ao longo do dia. Além disso, existem várias informações falsas circulando a respeito, sendo importante ter mais atenção.

Como o crime virtual tem se aproveitado do coronavírus?

É nesse ponto que os hackers entram. Devido à grande sensibilidade ao tema, vários criminosos virtuais têm se aproveitado da oportunidade para espalhar malwares em vários computadores ao redor do mundo, utilizando mensagens e notícias falsas. Centenas de pessoas recebem mensagens assim e acabam infectando os próprios computadores com vírus que roubam seus dados.

Não é uma prática exclusiva para esse caso. Em 2014, algo parecido aconteceu quando houve uma situação de epidemia similar com a Ebola. Malwares são utilizados todos os dias para roubar informações pessoais de usuários, como senhas de banco, e-mails, nomes, entre outras coisas. As notícias a respeito do COVID-19 são apenas mais um canal de entrada ao qual os criminosos têm acesso.

Como é o golpe?

Na maioria dos casos, os hackers começam com a aquisição de uma grande lista de e-mails ou números de telefone, sejam eles comprados de outras empresas ou obtidos por meio de outros canais, como sites ilícitos ou redes sociais.

Em seguida, eles enviam um link para as pessoas nessa lista, geralmente com o conteúdo aparente de um site de notícias, uma página oficial do sistema de saúde, um vídeo, etc. Porém, depois de acessar essa página, o usuário acaba fazendo o download de um malware, que pode ser instalado sem ser percebido ou confundido com outro tipo de programa.

A partir do momento que ele entra em ação, o malware pode anotar as palavras que você digita no teclado, identificar senhas, e-mails e vários outros dados importantes. Essas informações, por sua vez, podem ser usadas em vários crimes, como falsificação de documentos, empréstimos em seu nome, entre outras coisas.

No caso de malwares que alcançam empresas, as consequências podem ser ainda mais graves. Roubo de dados de clientes, desvios de grandes verbas, entre outras consequências, podem afetar todo o funcionamento do negócio e a vida de seus colaboradores.

O que você pode fazer para se proteger?

Obviamente, você precisa tomar algumas precauções contra esses ataques de hacker, assim como tomaria contra o coronavírus. Para auxiliar, separamos aqui alguns dos principais métodos para se preparar e evitar riscos. Acompanhe.

Fique atento aos sinais de informações falsas

O mais importante para não cair em nenhum golpe desse tipo, naturalmente, é saber identificar quando ele está ocorrendo. Se você prestar um pouco de atenção, verá vários sinais que indicam quando um e-mail ou mensagem não é confiável, como:

  • tom excessivamente alarmista e emotivo;
  • URL do site escrito de forma incorreta;
  • falta de datas, fontes e afins;
  • e-mail de origem desconhecida ou não solicitada;
  • remetente é uma empresa/parceiro que já mencionou que não envia esse tipo de informação.

Esses são apenas alguns dos principais exemplos. Se você tiver atenção a eles, já evitará a grande maioria dos golpes.

Treine sua equipe para lidar com mensagens suspeitas

Mesmo que alguns desses sinais pareçam óbvios, sempre haverá alguns colaboradores na empresa que não lidam tão bem com tecnologia, especialmente os mais velhos. Além disso, os criminosos virtuais também estão se tornando mais hábeis, criando mensagens cada vez mais difíceis de identificar para pessoas comuns.

A solução aqui é capacitar sua equipe, mostrando quais são esses sinais e quais são os melhores procedimentos para evitar a entrada de malwares na empresa. No fim das contas, essa ainda é a melhor defesa disponível.

Promova verificações regulares de segurança

Apesar dos seus melhores esforços, é bem provável que, em algum momento, algum malware consiga se infiltrar no computador e comece a causar problemas. Porém, assim como com o coronavírus, um diagnóstico precoce é o melhor caminho para evitar os danos mais graves.

Inspeções de rotina não custam muito para uma empresa nem para um indivíduo, mas garantem bem mais segurança. Dessa forma, se houver algum problema com a máquina, ele pode ser resolvido com antecedência, sem que cause alguma perda grave.

Invista em softwares de segurança

Por fim, mas não menos importante, é sempre uma boa ideia ter um antivírus e um firewall de alta qualidade em todos os seus aparelhos, seja nos computadores, notebooks ou celulares. Afinal, qualquer um deles pode ser uma porta de entrada para o vírus.

Com um sistema de melhor qualidade para proteger seus aparelhos digitais, você não terá que se preocupar tanto com essas vulnerabilidades. Ainda será importante não abrir mensagens suspeitas, mas pelo menos você evitará algumas ameaças mais sutis.

Agora que você entende a relação entre o coronavírus e hackers, pode começar a se prevenir contra ambos agora mesmo. Mesmo atitudes simples podem melhorar bastante a sua segurança no mundo online.

Quer continuar recebendo nossas dicas? Então siga-nos no Facebook e no Twitter para acompanhar nossas novidades.

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.