Velocidade do site: 6 dicas para melhorar a performance do seu site

Velocidade do site: 6 dicas para melhorar a performance do seu site

Um dos elementos mais importantes para aumentar o tráfego e melhorar os seus números online, a velocidade do site é sem o menor sinal de incerteza um fator bastante relevante para o sucesso de todo e qualquer tipo de negócio na internet.

Duvida disso? Então saiba que quase metade dos usuários da rede esperam que uma página Web seja carregada dentro de apenas 2 segundos. Além disso, cada atraso de 1 segundo pode resultar em uma redução de 7% nas conversões.

Embora isso pareça um tanto quanto exagerado, não se discute o fato de que as pessoas não têm muita paciência com o tempo de carregamento das páginas.

De qualquer maneira, preparamos este artigo para apresentar 6 dicas para melhorar a performance e a velocidade do site. Continue a leitura e confira. Não perca!

1. Contrate uma boa hospedagem

Em primeiro lugar, contrate uma boa hospedagem. Por ser o local em que os dados e arquivos ficarão armazenados, esse deve ser um dos principais cuidados que se deve ter ao colocar o site no ar.

Faça essa escolha pensando mais na qualidade do que no preço. Avalie o custo-benefício visualizando a confiabilidade, a segurança e o desempenho do serviço, fatores que interferem diretamente na velocidade do site.

2. Utilize um CDN

A utilização de uma CDN deve ser considerada porque é capaz de otimizar a entrega das páginas fazendo com que os visitantes consigam acessá-las mais rapidamente.

Do inglês Content Delivery Network — “Rede de Distribuição de Conteúdo”, em português —, a CDN atua como uma espécie de intermediário entre a hospedagem e o servidor, bloqueando ameaças e limitando os bots abusivos e rastreadores.

Também pode servir como um cache de imagens, CSS e JavaScript (arquivos estáticos), repassando o tráfego para outros servidores.

Para facilitar o seu entendimento, os benefícios em utilizá-la incluem:

  • redução da latência;
  • proteção dos arquivos;
  • otimização da experiência do usuário;
  • diminuição da perda de pacotes.

Realize um teste com e sem uma CDN e você certamente verá as diferenças e vantagens ao adotá-la no que se refere à velocidade do site e à disponibilidade de suas informações.

CloudFlare é um bom exemplo e um excelente serviço de CDN, possuindo servidores em todos os cantos do planeta. Outra solução bastante interessante é o Sitelock CDN.

3. Otimize as imagens

Pouco adiantará contratar uma boa hospedagem e utilizar uma CDN se você não otimizar as suas imagens. Por isso, evite deixá-las pesadas — caso contrário, demorarão muito para carregar.

Nesse contexto, imagens com 1mb são consideradas enormes. O ideal é compactá-las para algo entre 100kb. Se você estiver usando o WordPress, é possível adequá-las com a utilização dos plugins de otimização.

Quanto menores em “peso” (não tamanho, necessariamente) forem, mais rápido será o seu site. Vale ressaltar que quanto maior a sua velocidade, melhor ranqueado ele será.

Entenda que os buscadores como o Google têm essa questão com um dos fatores de ranqueamento: lembre-se de nomear as suas imagens com as palavras-chave no recurso “alt-text”.

4. Habilite o cache

Recurso empregue para impedir a sobrecarga do servidor, o cache do site deve estar sempre habilitado. E o porquê disso? A resposta: por que uma página em cache nada mais é do que uma reprodução idêntica da original, que foi “concebida” anteriormente e armazenada como um arquivo.

Ao habilitá-lo, as páginas não precisarão ser carregadas do zero como se fossem pela primeira vez, pois seus dados já estarão todos armazenados. Com isso, a velocidade do site será beneficiada, não há a menor dúvida.

Em termos práticos, o sistema cache habilitado permitirá que o seu site seja carregado sem ter que consultar o banco de dados, reduzindo, desse modo, uma possível sobrecarga do servidor e o seu tempo de carregamento.

5. Elimine recursos desnecessários

Outro ponto a salientar corresponde aos recursos do site. Sejam módulos ou plugins, todos ocupam espaço e acabam contribuindo de alguma forma para a rapidez com que as páginas carregam.

Aqui, a dica é simples: elimine tudo o que não for necessário, deixando somente o que é realmente importante. Nesse sentido, observe também a maneira com que os códigos são escritos.

Quanto mais “limpos”, melhor, pois isso facilita o carregamento do site. Se não for você (ou sua equipe) o responsável por revisá-los, peça para o serviço terceirizado avaliar uma possível otimização, procurando reduzir os arquivos para que o tempo de carregamento das páginas seja melhorado.

De um jeito ou outro, programas como o HTLM Compress ajudarão no trabalho de compactação.

6. Realize testes frequentes

E por último, mas não menos relevante, realize testes frequentes para assegurar que a velocidade do site está em dia com as exigências da internet. Tenha em mente que é só assim que você poderá ter um diagnóstico preciso acerca da sua performance.

Basear-se apenas no tempo de carregamento é um erro — até porque, dependendo da qualidade de conexão do dia (algo que pode ser variável), a demora pode ser pouca ou muita.

E fazer esses testes não é nada difícil, pois há uma série de ferramentas gratuitas justamente para realizar essa função. Para ilustrar, veja a seguir quais são as principais:

PageSpeed Insights

O PageSpeed Insights é provavelmente a mais conhecida e utilizada de todas. Afinal, quem é que não confiaria em um serviço do Google? Pois então, use-a a seu favor também. Para isso, basta apenas digitar a sua URL principal e aguardar a avaliação de velocidade.

A pontuação vai de 0 a 100. Quanto mais alta, menor será a quantidade de correções a fazer. O legal é que a ferramenta dirá quais são os erros a corrigir.

GT Metrix

Análise que observa cerca de 25 diferentes critérios antes de gerar sua nota de classificação, o GT Metrix a exibirá se baseando no percentual 0 a 100%.

Além desses, há ainda:

  • Web Page Analyzer;
  • Web Page Test;
  • Pingdom Website Speed Test.

Por fim, não se esqueça de que a velocidade do site poderá tanto prejudicar quanto beneficiar o seu negócio. Por isso, mantenha-a rápida e consistente.

O que achou deste artigo? Gostou? Então assine a nossa newsletter agora mesmo! Assim, você recebe outros conteúdos como este diretamente na sua caixa de e-mail e fica sempre informado sobre o mundo digital.

1
Deixe um comentário

avatar
0 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of