Você sabe o que é bug?

Você sabe o que é bug?

De origem inglesa, a palavra já foi incluída nos dicionários de português e no dia a dia das pessoas. Antes conhecida apenas no mundo da informática e da engenharia, “bug” hoje é uma palavra amplamente usada para descrever falhas inexplicáveis.

O uso crescente de computadores, tablets, celulares e outros componentes eletrônicos é um dos grandes responsáveis pela popularização do termo. Mas você sabe como a palavra bug acabou virando sinônimo de falha ou erros que um programa pode causar? A história explica, e você pode descobrir (ou relembrar) aqui.

Bug: origem do termo

No Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, a definição de bug é “falha num programa informático que provoca mau funcionamento”.

De origem inglesa, bug significa inseto em português. Existem algumas versões sobre a origem. Uma das mais difundidas está ligada a Grace Hopper, programadora da Marinha dos EUA. Conforme esta versão disponível na Wikipédia, ela teria utilizado o termo em 1947 para explicar o mau funcionamento do computador Mark II (da Universidade de Harvard), provocado por um inseto que ficou preso nos contatos de um relê.

Após realizar as correções no computador, Hopper inclui a informação em um “diário de bordo”, e fixou a mariposa (inseto encontrado) como registro, como mostra a imagem abaixo (disponível também na Wikipédia, hoje exposta na seção de História da American Museum Tecnologia da Smithsonian).

No documento ela registrou: “Primeiro caso real de bug encontrado”. A data? 9 de setembro de 1947 – que hoje lembramos como Dia do Bug.

imagem-primeiro-bug

Embora Hopper tenha feito o primeiro registro, a origem do nome pode ser mais antiga, sendo utilizada pela primeira vez por Thomas Edison (1878) para descrever uma falha mecânica (causada por um inseto) que gerou problemas na leitura do seu fonógrafo.

O primeiro computador digital completamente eletrônico, o ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer), deu grande impulso ao uso do termo. Os insetos, atraídos pelas válvulas que moviam o computador, provocavam curto-circuito nas placas, levando a falhas nos programas.

Na área da informática, atualmente o termo se aplica a um erro no funcionamento comum de um software (ou também um hardware), também chamado de falha na lógica de um programa, e pode causar comportamento inesperados, como resultado incorreto ou comportamento indesejado.

Na maioria dos casos, são erros no próprio código-fonte, mas podem ser causados, também, por um framework, sistema operacional ou compilador.

Programação web: é possível evitar bugs?

Hoje, em vez de varrer os insetos e trocar alguns componentes, a ideia é evitar ao máximo os bugs. Nem sempre é possível, mas alguns sistemas já estão disponíveis para auxiliar nesta missão.

Para quem trabalha com desenvolvimento web, por exemplo, um grande passo foi a extensão do Firefox conhecida como Firebug. Inovadora, a extensão tornou mais fácil o trabalho de descobrir e eliminar possíveis erros de programação e edição.

Para usuários do Chrome, a opção Inspecionar Elementos (nativa do navegador, sem necessidade de extensão) também cumpre muito bem a função, auxiliando na inspeção e análise dos elementos de uma página web. Para acessar a opção, basta clicar com o botão direito na página e em seguida em Inspecionar Elemento.

Na versão 11 do navegador Internet Explorer (IE), as opções para verificação dos elementos também foram disponibilizadas, auxiliando no processo de análise e correção.

Então, aula de história compreendida? Se você conhece outras histórias sobre termos da área de informática e tecnologia, compartilhe conosco. Conhecer (e compreender) o significado dos termos é sempre interessante.

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of